Um Raro Dia Sem Sol – Sérgio Vieira de Melo

Um Raro Dia Sem Sol – Sérgio Vieira de Melo

Obrigado Senhor.

Agora bem que aliviou, mas hoje, durante toda manhã o Criador mandou chuva, tão ausente e esperada por muitos. Fomos atendidos, em parte, em nossas rezas e clamores e nos sentimos felizes e abençoados pela dádiva divina.

Nos mais longínquos rincões nossos irmãos sobrevivem com muita dificuldade, vendo seus plantios se perderem e os animais morrerem de fome e sede. Sede que assola e castiga nossa região. Região de um bravo povo (“O sertanejo é antes de tudo um forte” Os Sertões: Euclides da Cunha) e que escuta promessas de uma solução para amenizar a crueza da seca, suas consequências e o martírio que persiste torturando feito um verdugo há muito tempo.

São promessas requentadas desde a época de D. Pedro II que disse: “Venderei até o último brilhante da minha coroa para acabar com a seca do nordeste”. Os que acreditaram, vou contar o resultado: Pais, filhos, parentes e amigos estão sepultados nos cemitérios da região Nordeste, enquanto a joia, coroa com todos os brilhantes, encontra-se intacta, exposta no Museu Imperial de Petrópolis (RJ), e poderá ser vista pelos nordestinos de nove estados da federação que migram diariamente para os estados do sudeste na esperança de fugir da seca, trabalho e dias melhores. Mas a cantiga é uma só: … Faz pena o nortista, tão forte, tão bravo, viver como escravo no Norte e no Sul (Patativa do Assaré – CE e cantado por Luiz Gonzaga – PE).

Aos que fingem que não sabem onde moram a seca e a fome, recomendo o livro: Geografia da Fome (1946) Josué de Castro (PE) publicado em mais de 25 países. Josué de Castro foi Médico, Filósofo, Geólogo, Professor, Cientista, Sociólogo, Político e Humanista.

Os ingredientes da paz são: O pão e o amor (Josué de Castro).

“A fome dos outros condena a civilização dos que não têm fome.” Dom Hélder Câmara (CE).

…Involuntários da guerra da fome que separa por um abismo os brasileiros que tudo tem dos não tem nada… “Josué de Castro – Cidadão do Mundo” de Silvio Tendler.

“A alma da fome é política!” A afirmação de Herbert José de Sousa – o Betinho

Derrama Senhor, onde mais preciso for, a chuva para lavar as amarguras, aliviar nosso flagelo e acalentar a esperança da nossa gente.

Que Assim Seja.

Bom Jardim PE – JAN 13, 2013.

Página do autor na Internet – http://breboti.blogspot.com.br